comportamento

Depressão à flor da pele

Prazer, Mariane. 27 anos de altos e baixos – muito mais baixos que altos.

Hoje eu vim falar um pouquinho sobre a minha depressão. Por que o “minha” ali? Eu explico: depressão não tem padrão. Ao contrário do que muitos acham, e ela varia de pessoa para pessoa. Nem todo mundo que tem depressão vai passar o resto da vida deitado numa cama, sem comer, sem fazer nada. Na verdade, esse é um estigma que precisa ser derrubado.

A minha depressão, por exemplo, parece uma montanha russa: há dias que tá no topo, há dias que está num momento mais estável, há dias que sai da estabilidade e desce numa loucura só. Tem dias que consigo deixá-la guardadinha em uma “jaulinha” nos meus pensamentos e sigo a vida. Em outros, ela fica solta, um pouco inquieta, mas me deixa livre para continuar lutando. Há dias que eu não quero levantar da cama, mas esses já são raros, são quando eu realmente perdi todas as minhas forças para lutar e eu só penso em morte. Há dias que eu estou me acabando de sorrir para todos, fazendo piadas, postando nas redes sociais e por dentro estou só os destroços. Mas, no fim das contas, ela não me abandona, e eu preciso fazer uso de medicamentos para conseguir lidar com tudo isso.

Vejam só quantas nuances eu apontei aí em cima. Vejam só como depressão não é algo simples e prático. Eu aposto que se eu sentar numa roda com pessoas com quadro de depressão, muitas se identificarão com o que apontei, outras nem tanto, outras com basicamente nada. E é isso que quero dizer: a depressão varia de pessoa para pessoa. Não existe uma receitinha de bolo que você segue e voilà, todos os seus sintomas vão sumir e a vida vai ser maravilhosa. Não, gente! Aquele bichinho que trás a angústia vai estar lá, vai aporrinhar, vai fazer você ter vontade de desistir de tudo, vai fazer você querer morrer, vai te fazer desejar o pior, vai te fazer descontar em comida (meu caso), vai te fazer perder todo o apetite, vai te fazer parar de fazer coisas que você mais amava, enfim…

E é aí que entram as pessoas ao seu redor. A maioria delas não sabem o que é isso e, sim, vão te julgar mesmo que mentalmente ou só com olhares repreensivos. Vão pensar que você é uma fraca, vão pegar aspectos da sua vida e dizer que não há motivos para se sentir assim, e blábláblá. Mas o que elas precisam entender é que elas nunca vão saber o que é depressão até passar por ela, então que elas tenham o mínimo de empatia e tentem-se colocar no lugar do outro, mesmo nunca tendo passado por isso. Que não apontem o dedo para um depressivo e não tente criar curas milagrosas para nós. Acredite: nós tentamos, tentamos e tentamos MUITO achar uma maneira de fazer com que toda essa dor e esse vazio existencial suma, mas ele não se cura simplesmente com um estalar de dedos.

É preciso muita terapia, acompanhamento psiquiátrico e até mesmo medicamentos controlados. Sim, em alguns casos faz-se necessário de medicamentos controlados. Outro estigma que a sociedade precisa perder: o de fazer acompanhamento médico e precisar tomar medicamentos para o auxílio à depressão. Ainda existem muitas pessoas que evitam lidar com seus problemas por medo de serem taxados de loucos. Loucos? Gente, antes de mais nada, seria importante que todos nós, independente de quadro depressivo ou não, procurássemos um terapeuta para aliviar as mazelas e o stress do dia-a-dia e, principalmente, para autoconhecimento. Vocês não têm noção do quanto eu me reencontrei na terapia e o quanto eu me descobri ao longo desses anos. Fazer terapia, buscar um profissional para entender o que está acontecendo contigo não te faz fraco, não, na verdade te faz uma pessoa muito forte, por ter ido atrás de resolver seus problemas com alguém especializado nisso. Porque por mais que tenhamos amigos e pessoas que nos entendam (o que é um suporte mais que essencial), o profissional é capacitado mais do que ninguém a te fazer refletir e te ajudar com maneiras concretas e reais a aprender a lidar com seu quadro depressivo.

Tudo que eu falei aqui em cima é baseado sobre mim e sobre pessoas ao meu redor que também passam por isso. Cara, não é fácil viver com isso, mas precisamos aprender a lidar, aprender a ver que cada dia vai ser um dia e que nem sempre estaremos bem. E eu escrevi esse texto em plena madrugada justamente porque meu dia foi do cão (mas estou relendo durante o outro dia para corrigir alguns errinhos). Eu me afundei em pensamentos péssimos e por pouco não sai da cama, por pouco não desisti de mim hoje, mas procurei focar em uma coisa positiva que me fez levantar e não desistir. Eu foquei no: não posso desistir, não desistirei, eu sou capaz e vou lutar. E repeti isso inúmeras vezes na minha mente, fiz um mantra positivo para buscar as energias positivas que eu sei que existem dentro de mim e achei uma gotinha de esperança pra lutar. Esse, ultimamente, tá sendo meu método de trabalho mental para tentar sair dos piores momentos. Tente encontrar o seu também.

Pra finalizar, eu vou deixar um recado específico para quem compartilha dessa situação: VOCÊ É MUITO MAIS DO QUE IMAGINA! Só pelo fato de você levantar da cama, tomar um banho e tomar seu café já é uma vitória. Não se culpe por não ter acordado num dia bom e não ter conseguido cumprir sua agenda: o outro dia está aí para isso. Não se culpe se você descontou suas frustrações em um cupcake ou em uma bela barra de chocolates: o outro dia está aí para isso. Viver sendo depressivo não é uma tarefa para qualquer um, e só pelo fato de sermos fortes para passar para o próximo dia já nos faz pessoas espetaculares. Acredite nisso.

Por fim, vou deixar esse vídeo gracinha que um conhecido meu me apresentou e que gosto muito de ver quando estou mal. Espero que gostem. Um beijo e até a próxima!

2 comentários em “Depressão à flor da pele

  1. Meu Deus que relato Mari, chorei por saber que não sou só eu que passa por isso é que as vezes as pessoas fortes do nosso lado está passando pela mesma situação, esse post me encorajou muito e ainda mais pra lutar pelos meus sonhos e nunca desistir de mim, esse vídeo é maravilhoso nunca o tinha visto, tocou meu coração e agora nesse momento eu sei que sou mais forte por saber que podemos sim abraçar os problemas e depressão, e não deixar ela nos dominar tomar conta da nossa vida, da nossa história, estou muito emocionada por vc sempre lutar e vencer os seus dias, torço por vc assim como vc sempre torce por todos, eu tive o privilégio de lhe conhecer e agora que sei da tua história me sinto ainda mais próxima a ti, e sei que juntas poderemos sim ser mais fortes e vencer todos os dias essa depressão que tenta nos afligir, vou fazer minha lista de todas as coisas que sou grata na vida, e essa lista vai começar com o seu nome, obrigada.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s